Turnos Recentes

De regresso por uns minut...

Entre papeis...

Do Natal ao Ano Novo

Bom Natal...

Uma manhã caótica ....

Força de vontade

Medicina ou infecto conta...

As melhoras são boas de v...

In love

Desorientações à parte...

Turnos passados

Abril 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Web Counter
Free Counter
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Orientando alunos...

Trabalho, trabalho, trabalho... e pronto... um cinemazito aqui e acolá, uns jantares para distrair que os amigos estão lá quando é preciso =)

 

Tenho feito muitas manhãs (o turno mais cansativo) e quando chego a casa quase caio para o lado, uma vez que quase já venho a dormir em andamento!!!

Ontem estive a orientar uma aluna de enfermagem. Eu ainda não oriento alunos até porque há pessoas com mais experiencia do que eu no serviço para isso, mas como calhou ficar na sala onde estavam os doentes da aluna, ela ficou comigo.

Recordei os tempos de estagiária... e ás vezes identificava-mte com ela. As dúvidas existênciais de como mexer numa torneira de três vias, como expurgar um soro sem formar bolhas de ar, as artimanhas para consguir calçar umas luvas e manter a esterilidade das mesmas... coisas que hoje em dia se faz de olhos fechados porque já se fez tanta e tanta vez!!! Esta aluno é do 2º ano, está lá já ha 3 semanas, mas mantém ainda algumas dúvidas. O que para mim hoje em dia é mais do que lógico e mais do fácil fazer, para ela ainda é um poço de confusão e de dúvida. Mesmo assim ainda se desenrasca bemzito. Gosto da comunicação dela com os doentes. Já vi exemplos de alunos ali a estagiar que falam de tal modo para os doentes e outros profissionais que se fosse eu já estava chumbada! Será que ás vezes se é demasiado brando como orientador???

Nunca pensei muito nisso, porque nunca orientei... Sempre pensei na prespectiva de aluna, que poderá ser insegura, que anseia que tudo corra bem, que procura oportunidade de treinar as tecnicas, de aprender a estar e a ser enfermeira. Sim, porque saber puncionar (picar) uma veia para por soro não é tudo!!! Como aluna sempre detestei que os orientadores fossem irónicos, "maus" e que fizessem muitas perguntas. Mas no fundo sabia que eles tinham de ser duro qb para que pudesse sempre incentivar-me a aprender.

De facto, enquanto enfermeiros temos a responsabilidade de formar aqueles que um dia mais tarde cuidarão de nós... se lhes passar a mão pela cabeça e não os fizermos ver o que é certo e errado, porque se faz isto e aquilo e o que é ser enfermeira, quem vai sofrer as consequencias de maus cuidados no futuro somos nós!!! Não é ser má e ralhar, mas é ser assertiva e ser mais educadora que amiga. Sim porque eu fiquei amiga de algumas orientadoras... de outras nem conhecida!

Estagiários de enfermagem que lerem isto... não me julguem persunçosa só porque já não estudo e não preciso de nota para passar e para ser enfermeira, mas pensem que se por vezes alguns enfermeiros são mais exigentes é para o vosso ( e nosso bem). Quem dera que alguns dos meus enfermeiros orientadores tivessem exigido mais... me tivessem desperto para várias outras situações para que pudesse aprender com elas...!

Não pensem que não sei que enquanto alunos temos 1001 coisas além do estagio para nos preocupar (são os trabalhos escritos, as reflexões, reuniões e frequencias...), mas se somos um dos cursos que temos um estagio antes de começar a trabalhar, para vermos (ou termos uma pequena ideia) de como é, temo é de o aproveitar!!!

Por isso, enquanto orientadora por um dia, tentei ser assertiva, para não se deixar levar pela idade e pelos anos de experiencia e para que não se notasse muito que estava tão pouco confortável quanto ela neste papel... Tentei orientar o melhor que pude. Melhor mesmo só as minhas colegas, habituadas a este tipo de papel, que exige grande responsabilidade!!!

 

E hoje fico me por aqui, lembrando-me dos tempos de estudante (em duvida, os melhores tempos da nossa vida...)!

 



15 comentários:
De Observador a 6 de Março de 2008 às 18:26
Chama-se a isso viver.
Por muito cansativo que seja.


De Tuga em Londres a 10 de Março de 2008 às 23:57
Parece-me a mim que irias dar uma óptima orientadora.


De nursy a 24 de Março de 2008 às 00:56
Ui... não sei não... Acho que os orientadores deviam ter formação específica... e eu não tenho..:!


De projecto d'enfermeira a 11 de Março de 2008 às 22:11
Olá, sou estudante do primeiro ano de enfermagem, por isso não posso prenunciar-me muito sobre esse meio porque os unicos contactos que tive com o meio hospitalar, foram as observações participativas que realizaei.Com a proximidade do estágio os nervos começam a apertar, mas a certeza que terei a meu lado profissionais competentes para me orientarem, faz-me descançar. Os orientadores frazem o seu trabalhos, são duros quando têm que ter, e tem que ser assim mesmo, afinal "somos gente que cuida de gente" e temos que estar preparados para essa realidade.


De nursy a 24 de Março de 2008 às 00:58
Realmente é assim que temos de pensar... Somos gente que cuida de gente e ás vezes sabe-se lá mais o que temos de fazer...
Boa sorte para o estágio... ser humilde, manter a calma, ser observado, atendo e nunca fazer nada sem ter a certeza do que se está a dizer são trunfos para que tudo corra bem! =)


De guguinha a 13 de Março de 2008 às 17:23
Olá nursy, é a 1ª vez que aqui venho. Fico muito contente por ter alguém da minha area na bloguice.
Como te percebo, também já orientei alunos, e muito sinceramente é preferivel fazermos nós o trabalho. Mas nós tambem já passamos por isso não é verdade. Boa sorte para ti, e até uma próxima, Beijinho, Guguinha


De nursy a 24 de Março de 2008 às 00:59
Obrigado pela visita... pois de facto como o nosso ritmo vai sendo outro, parece-nos sempre estranho passar de cavalo para burro... mas quando tem de ser tem de ser... e é preciso paciência ;)


De aruska a 5 de Abril de 2008 às 17:47
Ola eu sou aluna do 4º ano de Enfermagem e encontro-me em estágios.Concordo que os orientadores devem fazer perguntas, serassertivos ocm os alunosmas..por vezes somos muito mal tratados pelos orientadores e enfermeiros dos serviços..e laro..nunca deixam de mencionar com orgulho os anos de experiencia deles e de referir que nós vamos para o desemprego no final do curso, nunca nos tratam como futuros colegas. Por vezes penso que já se esqueceram do que é ser aluno...


De nursy a 24 de Abril de 2008 às 03:07
Ola* Obrg pelo comentário... realmente, se havia algo que muitas vezes dizia durante o estágio era "Bolas... já se devem ter esquecido do que é ser aluno..." e de facto, ás vezes as pessoas esquecem-se... Espero que corra tudo bem contigo!
Beijo


De enfermeiro_de_serviço a 15 de Abril de 2008 às 02:13
Olá.
Gostava de te dar os parabéns pelo blog que sigo já há algum tempo mas desta vez senti necessidade de fazer algo mais que ler..
Em relação a este post da orientação dos alunos (eu sou aluno de 4 ano) gostava de te dizer que apesar de o ser ainda concordo com o que dizes, estou a terminar o curso e ainda há dias em conversa com colegas falamos mais ou menos sobre isto.

Aqueles enfermeiros que mais me marcaram durante o curso foi precisamente aqueles que seguem o "modelo" que tentaste seguir nesta tua orientação. Mesmo que por vezes possa não parecer o melhor método aplica-se uma frase que defendo "As melhores pessoas são as que nos fazem pensar"

Criei um blog muito recentemente mas se tiveres tempo gostava que o lesses cara futura colega :)

http://vida-de-estagiario.blogs.sapo.pt/


De nursy a 24 de Abril de 2008 às 03:14
Ola! Tudo bem?
De facto, sempre me lembro de pensar que durante todos os meus estágios e mesmo agora enquanto profissional há uma enfermeira que me orientou no 1º ano que me marcou muito e me serviu de modelo até hoje... Cada pessoa tem o seu modo de trabalhar... há alguns modos que não se podem considerar correctos ou incorrectos...são apenas modos... porque cada enfermeiros é diferente do outro! Em cada estágio se conseguirmos retirar o bom de cada enfermeiro e aprender com o mau deste, acredito que se tem uma melhor base de aprendizagem e para o futuro! =) Vou ver o blog assim que surgir oportunidade.


De Sara a 16 de Junho de 2008 às 23:12
Boa noite! andei a pairar pelo Google à procura duma resposta a uma dúvida colocada por uma colega minha, precisamente feita pela orientadora dela, e encontrei este blog, que me pareceu interessante :)

já agr se me souber responder à pergunta....: qual o dedo da mão a nao puncionar na criança com Diabetes infantil?? (só sei que se deve puncionar na região lateral do dedo para evitar alteraçoes da sensibilidade) lol

Estou no 3º ano de Enf., e relativamente aos orientadores, posso dizer que já apanhei de tudo!!! uns mais acessiveis que outros...uns que nos bombardeiam tds os turnos com perguntas...outros que nos humilham na frente de doentes...outros que nos elogiam, no lugar de dar reforços negativos, reconhecendo o nosso trabalho...outros que parecem a nossa sombra...outros que nos dão liberdade a mais e parece que se estão a "cagar" (desculpe o termo)....outros compreensiveis e mais humanos...enfim. Quantas vezes já andei numa carga de nervos devido aos orientadores "mauzinhos" que nem uma caixa de Valdispert me acalma (LOL eu sei que não tem mt efeito). Mas secalhar muitos enfermeiros deverião parar para pensar um bocadinho nas dificuldades que já tiveram enquanto alunos...que muitas vezes a pressão exercida por eles nos alunos, só faz com que os enerve mais, e as coisas nao corram bem...deve haver uma tolerância moderada. Errar, é humano! e nenhum de nós é uma máquina...mas claro, com a saúde não se brinca :) e o enfermeiro deve proporcionar uma boa aprendizagem ao aluno.

Boa sorte para a sua vida pessoal e profissional! ;)


De nursy a 18 de Junho de 2008 às 12:54
Ola, obrigado pelo teu comentario!!!
Quanto à tua questão, sinceramente, não sei. A pediatria não é a minha área e isso é realmente uma coisa muito especificia... se entretanto descobrir no meio dos meus livros eu digo ;)
Gostei muito do teu comentario, de facto há orientadores para "todos os gostos" o que eu acho que também depende da personalidade de cada um e mesmo dos alunos. Enquanto orientadores é importante não esquecer que se está a fazer parte activa da formação de alguem que um dia mais tarde vai cuidar de mim! Não concordo com a tortura, mas sim com a exigencia! Errar é humano e deve-se aprender com os erros, e não é quando somos humilhados que aprendemos...
Quanto à pressão, quando fores enfermeira a pressão e stress que tens é muito maior do que como aluna!!! Tens pressão dos médicos, tens a pressão directa de uma vida nas tuas maos, da tua chefe, dos teus colegas, dos familiares dos doentes... não podes descartar os problemas para a tua enfermeira orientadora e se não sabes ela fará por ti... estás por tua conta!!! Por isso, quanto melhor se souber lidar com a pressão enquanto aluno melhor se lidará com ela enquanto profissional!!!

Um beijo grande e boa sorte!


De Nany a 20 de Setembro de 2009 às 19:32
Olá,
não sou enfermeira, mas sim mãe de uma criança com diabetes e os dedos que não se devem picar são o polegar e o indicador, pois são os dedos ligados à escrita (segurar a caneta) e motricidade fina. Ao fim de muitos anos de picadas, perde-se um pouco a sensibilidade, e estes são os mais 'críticos'.
Respeito muito a vossa profissão. Continuem a tratar bem dos nossos meninos (e não só) como tenho visto até aqui.
Obrigada!


De Ana C. a 29 de Abril de 2013 às 03:41
como aluna do 4º ano, em último estágio, de 3 meses de UCI, acho que nem toda a gente devia orientar alunos. Porque simplesmente se esqueceram do que é ser aluno. Já tive orientadores amigos, exigentes e amigos ao mesmo tempo, verdadeiras criaturas que nunca na vida deveriam chegar perto de alunos, seres desorganizados que nos fazem estar mais de 3 horas a fazer trabalho em atraso, etc. Há de tudo. A empatia de que tanto se fala durante o curso não deveria ser esquecida. Tive uma orientadora no C.V.P que era suuuper exigente. Entre alunos chamavamos-lhe "a enfermeira que nunca sorria". No dia da avaliação final ela disse que se apercebeu logo de início que eu era daquelas que tremelicava por todo lado se tivesse alguém a olhar pra mim enquanto reconstituia um medicamento e quando ela se afastava eu fazia tudo bem. E optou por essa via. Embora eu como sempre lhe fosse mostrar os frascos 5000000 vezes e confirmasse pela 100ª vez a reconstituição. O que ela disse para mim confirmou que é uma grande pessoa e vai ser sempre uma boa orientadora. Ela poderia ter-me feito a vida num inferno, andando sempre atrás, ou pressionando-me. Ela afastou-se e deu-me espaço para ganhar auto-confiança e destreza. Qualquer um faria o mesmo?não.
Um orientador não deveria nunca esquecer-se de que já foi aluno. Que já foi aquele para quem uma passagem de turno exigia notas infindáveis, lidas com um tom trémulo. Para quem muitas vezes o medo de pedir para fazer e fazer asneira se sobrepõe à vontade de pedir para fazer porque quer ver como se faz e porque se quer aprender.
Os enfermeiros não são pagos para orientarem alunos, o que acho mal. É ter o dobro do trabalho e nada em troca. Para o aluno não se sentir um empecilho por vezes basta. Desejem-me sorte para este último estágio ;)


Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


tags

todas as tags

Links

online
blogs SAPO

subscrever feeds