Turnos Recentes

Calma... calmaria...

Não detestam...

E Já passou a Páscoa...

Orientando alunos...

De volta...

Já não estou habituada...

De regresso ao trabalho.....

No pós Natal... pré 2008....

De férias... finalmente.....

Fazer pelos outros...

Turnos passados

Abril 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007


Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007

Preciso de férias...

Olaaaa**

Isto de ser enfermeira tem que se lhe diga... quando damos por nós estamos esquecemo-nos de tudo o resto e só temos tempo para ...dormir!!!

Têm-me pedido umas trocas manhosas lá no serviços e fico a fazer turnos completamente descabidos e super cansativos... mas... há pessoas que vale a pena o sacrificio para irem de férias mais tempo...!!!

Em breve chegará a minha vez de ir de férias... e já preciso!!! Chegam horas em que não aguento mais as campainhas, os médicos que não se decidem sobre as analises a fazer e depois tenho de picar o doente 2 vezes... que não se decidem qual o exame a fazer, ou quando é para fazer... que chamam os doentes pelo "tem o 1 e o 3?", como se as pessoas fossem número...

Preciso de restabelecer forças e voltar para lá a sorrir para os doentes (tá bem, e para os médicos....)!

As noites tem sido do mais caótico... temos tido o serviço sempre cheio... e para variar com 2 ou 3 pessoas a fazer perfusões na enfermaria... tipo furosemidas, dopaminas (sim sim, as dopaminas DEVIAM ser administradas em UCI's, mas os médicos devem achar que somos tão bons enfermeiros que até com 30 doentes podemos ter um com dopamina.... tss tss...) e a bela da perfusão de insulina que nos faz avaliar a glicémia capilar do doente de 2 em 2 horas (estão a ver estarem muito bem a dormir as 4h da manhã e vir uma enfermeira "é só para picar o dedo..."? Eu nao ia gostar...alias... não ia gostar mesmo nada.... mas é assim!).

E para não variar lá temos os nossos queridos doentes desorientaditos...  que chamam a noite toda pela Ercilia, ou pela Josefina, pela mãe e pelo pai... não ha modo de os fazer sossegar... nem falar um bocadinho, nem medicação... nada... o que causa rebelião na enfermaria e que alastra para o restante serviço e ás tantas está tudo acordado prestes a pedir o livro de reclamações porque o doente está desorientado... ás vezes pergunto-me se os restantes doentes não têm noção que aquela pessoa não está a fazer de propósito e que está DOENTE? As vezes dá-me a sensação que se eu colocasse o doente a porta do serviço eles me davam um prémio de melhor enfermeira... meus amigos... quando estiverem internados ACREDITEM que não vão dormir as 8h seguidinhas e descansadas sem um zumbido que seja como na vossa casinha... e acreditem que vai sempre haver outra pessoa completamente desorientada que vai gritar imenso e dizer imensas asneiras... e por mais que tentemos... acreditem que fazemos tudo ao nosso alcance, porque pessoas que não dormem são pessoas rebugentas e quem as ouve somos nós...

 

 

Beijinhos para todos*****

 

Sinto-me: a precisar de ferias...


Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

Desabafo...

Estou um pouco desiludida... sinto que me tenho afastado mais dos doentes e familia com medo de sofrer e de me entristecer, de me deprimir com tudo o que vejo a minha volta!!! Provavelmente é uma defesa... não sou fria, nem antipática percebem, mas afasto-me... como no caso que referi no post anterior! Isso, a meu ver, não é bom! Quer dizer, temos de saber manter alguma distância das coisas é certo, mas por outro lado penso que é bom estar ali e que as pessoas percebam que realmente nos importamos com elas e com o que elas sentem...

Tenho de reler este post muitas vezes para interiorizar que tenho de me continuar a esforçar para encarar os casos e estar realmente a apoiar as pessoas... preciso disso para me sentir mesmo bem no que faço... preciso dessa parte humana, e tenho medo de a perder para não me magoar a mim!! Tenho de pensar nos bons casos... casos como os que a SM (http://umdiavireienfermeira.blogspot.com/) refere no seu blog! Também tenho casos assim... tenho de me lembrar das pessoas que nada fazia prever que a vida lhes desse uma nova hipotese e após meses internadas sairam pelo seu próprio pé!! E a alegria de presenciarmos a retirada de uma algália, de uma sonda nasogástrica, do desprender do soro... do primeiro banho no WC e da primeira ida sozinho ao refeitório ou ao banho... é ver tudo com alegria nos olhos, como se voltassem a apanhar o sentido da vida novamente!!! É ver e estar presente... realmente presente sem medos que depois tudo corra mal e nos tenhamos envolvido de mais... porque não há mal chorar... há mal é ficarmos com tudo de mal cá dentro...

Obrigado por todos os comentários feitos e espero, mesmo mesmo mesmo... não perder a minha sensibilidade!!!

Beijo grande**

Sinto-me: Com medo de perder....
Música: James Morrison - You Give Me Something


Sábado, 1 de Setembro de 2007

A ratazana...

Estava eu muito bem sentada na sala de trabalho quando ouvimos... "Ahhhhhhiiiiiiiii".

Bolas, mais uma senhora que caiu na casa de banho!!!! Lá fomos nós a correr corredor fora até ao WC das ladies. Pelo caminho continuámos a ouvir os gritos. "Bem, a senhora deve ter caído mesmo mal"...

Chegadas ao WC eis que encontramos a unica pessoa que lá estava em cima de uma cadeira a gritar e a apontar para uma sanita. Inicialmente ficamos espantadas, mas quando vimos um rabo enorme a sair de tras da sanita quem gritou fomos nós. Não é que estava uma brutal ratazana na casa de banho?

Eu fui a primeira a sair, porque eu e ratos, ratos e eu... naaaa...

O auxiliar homem nao estava no serviço, e as minhas colegas também não adoram ratos... "salvámos" a senhora e fechamos a porta do WC, para ninguém mais entrar, e para o rato não sair... 

A senhora ficou um tanto ansiosa, lá estivemos a dar apoio, mas sempre entre risos. Como é possível, uma ratazana no serviço!!! Só pode ter subido pelo esgoto para a sanita, o que não nos dá, de todo, uma visão muito bonita... enfim.

Voltámos para a nossa sala, ainda a comentar "ainda bem que não estava ninguém na sanita" e já a preparamo-nos para ligar para virem tirar o rato, quando ouvimos mais gritos, desta vez da auxiliar. "Bolas, soltaram o bicho!!!". As minhas colegas voltaram a correr (eu não, fui mais devagar...) e eis que o bicharoco se esgueirou para uma das enfermarias de mulheres. Já estavamos a ver que alguma ia ter um ataque, mais que nao seja de ansiedade!! Felizmente o bichito deu meia volta e voltou para o corredor outra vez, ás tantas mais atarantado e aterrorizado que nós. Felizmente o bicho lá deu com a porta e deixou-nos!

Portanto, quando algum doentinho nos disser que anda a ver animais por ali, é melhor verificarmos se realmente não andará antes de dizermos que ele está confuso e desorientado!

Foi um susto valente... e inédito de facto! Uma ratazana num serviço??!! Felizmente não teve outras consquencias a não ser alguns ataques de ansiedade... Enfim, só comigo!!!

 

Beijos e Abraços!

 

Sinto-me: Com medo...


Sábado, 18 de Agosto de 2007

Defeitos e feitios..

Isto de ficar sem PC é que é uma grande chatisse... mas enfim, já passou, e já posso voltar aos meus post e a ver os blogs do pessoal
Para começar tenho de agradecer á Gaja (www.http://diariodeumagaja.blogs.sapo.pt/) pelo post que ela dedicou ao meu blog. Gostei muito das palavras e tenho mesmo de lhe agradecer! Apesar de não ter nenhuma secção do meu blog referente a outros, não posso deixar de dizer que o blog da  é um dos que leio de fio a pavio (e por vezes releio) porque é realmente muito bom.Obrigado Gaja!
Vou tentanto, mas é mesmo muito dificil transmitir em palavras os sentimentos que vou tendo nos "retalhos" da minha profissão. A tristeza, a surpresa, a alegria e aquele sentimento que nos é retribuido quando damos um sorriso verdadeiro é inexplicável, e só mesmo sentindo!!! Adoro a minha profissão e o que faço, mas tenho a noção que não faço tudo como queria ou como devia ser, porque muitas vezes não dá mesmo, por mil e uma razões, incluindo a minha pouca experiencia.
Tenho muito medo de um dia estar internada. Não porque tenha tido más experiencias mas pela doença em si, principalmente aquelas que nos imobilizam e nos fazem depender a 100% dos outros. Acho que é a pensar nisso e a "colocar-me no lugar do outro" que tento sempre empenhar-me ao máximo a cuidar dos outros, porque um dia posso ser eu!
A Webi(http://calatedorme.blogs.sapo.pt/) comentou que os doentes tinham de levar com o "mau feitio" e má disposição das enfermeira. É verdade... além de enfermeiras somos pessoas que temos uma vida além das paredes do hospital ou centro de saúde. Temos os nosso problemas na vida pessoal e de saúde... e temos os nossos defeitos e feitios. Há enfermeiros para todos os géneros e estilos, porque somos pessoas e somos diferentes! Confesso que nem sempre vou com a mesma disposição para o serviço, confesso que há dias em que os doentes notam que estou diferente porque estou mais chateda, mais doentes, mais irritada, mais triste. Temos é de ser profissionais. Não posso deixar que isso afecte os cuidados que presto. Posso não ser tão simpática, mas tenho de me manter prestável e profissional. Podemos tentar colocar uma máscara, mas a verdade é que nem sempre dá. Há pessoas que conseguem melhor que outras. Eu nem sempre consigo ser simpática, nem sempre tenho paciência... é verdade, admito. Mas como já referi, também sou pessoa!!! Também tenho direito a ter os meus sentimentos e problemas. O importante é que os cuidados fiquem bem prestados, que não grite, não bata e não ofenda...
Hoje fico por aqui, agradeço todos os comentários, e sempre que puder retribuo!
Beijos e abraços

Sinto-me: Já tenho computador!!!


Quarta-feira, 8 de Agosto de 2007

O que fazer e o que não fazer (pequeno guia para doentes)

Existem pequenas coisas que as pessoas não se apercebem que fazem (ou não fazem) quando estão internadas. Poderá ser habitual, porque há umas pessoas que nunca estiveram no hospital...entao aqui vão umas dicas...

 

Quando estiver internado/a:

  • Não dar opiniões absuradas sobre a saúde dos outros doentes (ou qualquer outra opinião relacionada com os cuidados que lhe prestamos - cuidar da sua não é suficiente?
  • Não dar informações sobre a saúde de um outro doente aos familiares deste, ou seja, não alarmar os familiares quando não percebe nada do que aconteceu!
  • Não gritar com os doentes desorientados que estão a fazer barulho e não o deixam dormir - não vale a pena...quanto mais gritam pior fica o doente desorientado! E os outros doentes da enfermaria agradecem... basta um!
  • Não tentar bater nas enfermeiras e auxiliares só porque tem mau feitio. Se estiver desorientado ainda damos desconto, mas quando não estão...podemos mesmo chamar a polícia. Atenção!
  • Não se queixe de uma coisa á enfermeira e outra ao médico... assim ninguém se entende... coerencia é importante para o tratamento e evita muuuitas confusões!
  • Não tocar a campainha aflito só porque o soro acabou, aquilo não sai dali e não faz mal nenhuma  saúde!!!
  • Não ponha o soro a correr mais depressa só para se ver "livre". As suas veias agradecem, principalmente se o soro tiver potássio...!!
  • Tocar quando sem querer (esperamos nós...) retiram o acesso do soro. Convém nao perder muito sangue... e é escusado de ter medo de ser picado outra vez...mais vale isso a ficar anémico. (ok não é logo assim... mas pronto, não convém perder sangue...)
  • Não tocar aflito porque se quer um urinol quando ainda tem outra para usar...  já sei que mais vale prevenir que remediar, mas há sempre oportunidade de pedir quando alguem passa, não é preciso tocar 10 vezes a campainha!!
  • Não falar ao telemóvel na enfermaria até ás 3h da manhã.
  • Não fumar nas enfermarias. (Sim, eu sei porque digo isto!!!)
  • Se vai ao WC, não deixar o telemóvel na enfermaria com o som MUITO alto, principalmente se tiver um toque de meter medo.
  • Não pedir coisas insistentemente aos enfermeiros quando estes estão em situações de urgência. (Se não está a ter uma paragem respiratória, nada é urgente!)

Por agora é o que me lembro... umas dicas que podem fazer a diferença!!!

Amanhã ficam as dicas para as visitas!

Beijos e Abraços

 

 

Música: Hoobastank - Running away
Sinto-me: Nas dicas....


Segunda-feira, 30 de Julho de 2007

Panorama da enfermaria...

      O serviço está cheio... a abarrotar! O que nos vale é que os chefões não admitem macas, senão teria umas quantas no corredor! Com a chegada de Agosto, metade dos médicos estão de férias, bem como boa  parte das minhas colegas... o que significa turnos com menos pessoal e médicos com menos paciencia para atender os doentes dos seus colegas.

      Trabalhar em Agosto poderá ser bom porque há menos trânsito, mas em termos de peso de trabalho...começo a reconsiderar a ideias de "trabalhar em Agosto é que é". Se bem que... lá para o fim do mês também terei os meus merecidos dias de férias... só para não ser diferente ! Até ver não há planos, mas é melhor nem pensar nisso senão ainda custa mais a passar.

 

Como comecei por dizer, temos o serviço lotado e nada leve!!! Para terem uma ideia...

 

Cama 1 - Sr com anemia grave, turno sim turno sim tem de fazer uma tranfusão de sangue. Andam a tentar descobrir o que provoca a anemia. O Sr, mal se dá por ele, lá está na sua caminha a sorrir a qualquer questão colocada, sempre, aparentemente bem disposto...

 

Cama 2 - Um sr com neo do pulmão, em fase avançada. Precisa de ajuda para tudo... está com tantas dores que quase nem lhe conseguimos tocar sem que ele emita sons arrepiantes de dor... para ele deve ser um martírio estar assim. A familia não o vem visitar. Ele ainda é novo... 52 anos. Já se prevê o final...

 

Cama 3 - Um sr com insuficiencia cardiaca, já está compensado a nivel cardíaco, faz a sua vida lá pelo serviço com maior independência. Ainda precisa de supervisão na higiene. Continua a gostar da comida bemmmm salgada, mesmo sabendo que faz aumentar a tensão arterial. Mas como agora já está "bom", não se lembra do que sofreu quando entrou cheio de falta de ar e sem conseguir mexer um braço sem se cansar...

 

Cama 4 - Um rapaz novo, de 32 anos, HIV positivo, com pneumonia. É homossexual, tem um companheiro super protector e que o tem ajudado imenso duranto o internamento. O sr tem tido acompanhamento psicologico porque descobriu há 6meses que é HIV positivo e está em choque...

 

Cama 5 - Um senhor de 92 anos que entrou por desidratação. Está super confuso e agitado, sempre que vamos ao pé dele já esta com as pernas de fora da grade, todo torto e, se tivermos sorte, ainda mantém o acesso para o soro... O filhos foram de férias, sabe-se lá quando voltam...

 

Cama 6 - Um senhor com problemas cardíacos, em que o coração bate muito depressa (sempre entre 120 a 130 batimentos por minuto). Está a fazer perfusão de amiodarona e tem um monitor cardíaco para podermos avaliar o traçado do coração. é um doente de risco pois se o coração bate muito depressa pode ter o risco de se cansar de mais e parar...

 

Cama 7 - Um sr que teve um AVC e que teve como sequelas uma perturbação na fala (disartria). Por vezes é complicado perceber o que ele diz e o que ele quer... ainda nao se pode levantar da cama, tem de repousar e temos de ser nós a fazer tudo, até porque, metade do corpo ele nao consegue mexer (tem hemiplegia).

 

Ainda há muitos mais pessoas internadas, cada uma com a sua especificidade e seus problemas... o post de hoje era para terem uma ideia do panorama de pelo menos uma das enfermarias. Temos doentes distintos, em idade, patologia, crenças e sexualidades que ali são iguais uns aos outros porque os tratamos sem discriminação. Não é por termos um Dr internado (como já aconteceu), que o vamos tratar melhor do que ao sem abrigo que está na cama ao lado... ali são iguais... têm necessidades diferentes, modos de vida diferentes, mas não podemos ser mais "simpáticos" ou "prestáveis" pela sua posição social!

 

Fico por aqui por hoje... está tanto calor que nem consigo dormir... amanhã vai estar igual... Beijos e abraços...

Música: da ventoinha
Sinto-me: Com calor...


Domingo, 22 de Julho de 2007

Velhinhos e sem abrigos

Ando desaparecida não é?... Pois... eu ás vezes tenho tanto que contar, outras vezes parece que é sempre tudo igual!

Sabem, quando fui para Enfermagem, uma das vantagens era que nunca teria um dia igual ao outro, porque os doentes mudam, as patologias mudam, as intervenções diárias mudam... não me iria aborrecer uma vez que não seria monótono. Bem... a minha ideia inicial revela-se verdadeira, no entanto o facto é que frequentemente os doentes são os mesmos de um dia para a outro e por vezes pouca coisa muda... o básico, digo. Para vir escrever ao blog, tento sempre trazer certos acontecimentos que me marcaram, pelo melhor ou não e tento transmitir a ideia do que é um bocadinho da enfermagem. Como por vezes o meu dia a dia é igual não vejo sentido em vir dizer "Entao hoje, dei banhos, dei não sei quantas medicações, falei com o doente X porque ele não sabe que doença tem e está ansioso..." porque isto basicamente é o "prato do dia"!

 

Com a chegada do Verão é ver os idosos chegar ao serviço! Sim, pode ser por desidratação (o mais frequente nesta altura do ano), mas o principal diagnostico de entrada é "abandono agudo"...

Temos pelo menos 4 doentes idosos, praticamente dependentes em todos os aspectos da sua vida, que foram levados para as urgências por suposta infecção urinária ou protração (quando ás vezes até estão agitados demais...) e lá foram deixados pelos familiares, apressados para ir de férias com a família... Como os idosos nao podem ficar no SU, são transferidos para as Medicinas e, ei-los lá até as familias virem de férias.

Pois é, não são só os animais que são abandonados nas estradas e canis... os velhinhos também! E destes que vão para o SU sabemos nós... e os que ficam em casa á sua mercê? Nem quero pensar... as pessoas que nos criaram, que fizeram tudo para que possamos ter um tostão para irmos de férias, são as que mais sofrem nestas alturas! De certeza que estes filhos e netos pensam que nunca vão ter mais de 70 anos e que vão sempre depender apenas de si mesmos... Enfim...

Bem, vamos cá ver outra vertente da história! É muito fácil para mim falar... eu chego ao serviço, estou lá 8h, no máximo 16h a cuidar dos doentes e não são poucas as vezes que não saio de lá com a cabeça em água! Mas depois, vou para casa, vou saindo um dia ou outro, e tento não pensar mais neles... Ou seja, tenho o meu descanso, o meu "esquecimento" e a minha folga. No entanto, os familiares que cuidam de alguem que precisa de si a 100%, cuida deles 24 horas dia... todos os dias, durantes anos! Esses cuidadores muitas vezes perdem trabalho para cuidar do seu familiar... não os podem colocar num lar porque economicamente não é possível. Eles ficam em casa, SEMPRE, e só podem sair para ir ás compras ou ao médico quando está mais alguém em casa, senão o velhinho fica sozinho e pode acontecer alguma coisa. Imaginem o esgotamento destas pessoas... por mais que amem e que façam tudo por tudo... também sofrem, também se cansam...

Pareço o advogado do diabo... mas é importante ver as situações pelos 2 lados...! Há familias e familias... não sou tola a ponto de achar que todas as familias cuidam dos seus com a mesma dedicação. Há muitas que cuidam para receber as pensões dos mais velhos e é-lhes indiferente se eles são bem ou mal cuidados... e não me admira que sejam esses que os deixem nas urgências, vão de férias umas semanas e depois digam que o telemóvel avariou e que é por isso que não atenderam...

Agora, sou de acordo que todos os familiares que cuidam de outros devam ter a sua pausa, para bem da sua sanidade mental (e mesmo física), mas para isso era necessario haverem meios sociais...blá blá blá...que, infelizmente na nossa socidade, são miragens!

Estas situações fazem-me lembrar os outros casos frequentes na medicina: os sem abrigo. Geralmente quando um sem abrigo é internado, só sai de lá quando tem um sitio para ir e alguém para cuidar de si. Lar, mesericordia, associações e afins...!A nossa assistente social é incansável, só não faz o que não pode! Por vezes são os chefes de serviço que a pressionam com o tempo de internamento, porque "está a ocupar uma cama, isto não é um lar!" (Adiante, nem vou comentar isto Ok?).

Bem, a AS é mesmo 5 estrelas e todos saem de lá com tecto e condições para se manterem estaveis a nível de saúde. Mas... e quando eles não querem um tecto!? Impossível? Impensável....? Não... é bem real! Já por 2 ou 3 vezes que os sem abrigos que temos internados preferem que a sua morada se mantenha "Praceta do Dr Manuel Manuel, 3º banco depois da fonte"... é verdade! Podemos pensar mil e uma razões... mas porque raio dizem que não a uma vida estável, com comida a horas, tecto para dormir e abrigar do frio e do calor??? Não sei... custa-me a compreender... a única coisa que me lembro que possa ser apetecível nesta vida de rua é a falta de regras, falta de horas, a sensação que têm falta de responsabilidade... têm comida aqui e acolá... dormem e sobrevivem, não tem de responder a ninguém nem por ninguém, não têm horas para cumprir. Não têm regras nas vida e são livres... será isso?  

 

Poderão pensar que o que disse hoje são situações mais sociais do que relacionadas com enfermagem, mas o facto é que diariamente lidamos com este tipo de casos, que nos fazem pensar e que ás vezes nos levam a ter pensamentos que poderão ser injustos. É assim em enfermagem, e é assim na nossa vida em geral!

 

Obrigado a todos os que comentam!!

Beijos e abraços!

 

Sinto-me: por vezes injusta...


Sexta-feira, 6 de Julho de 2007

Imaginem...

Imaginem...

Estão deitados numa cama porque não se podem levantar... não consguem... não têm força nos braços ou pernas nem para aliviar a comichão na face....

Alguém chega, pega em vocês e coloca-vos de lado na cama, virados para uma parede nua.

Ficam a olhar para a parede nua 3 horas.

Não consguem mexer o pescoço, porque não têm força, não podem por mais que queiram.

 E ficam 3 horas a olhar para uma parede nua...

É de dia... na enfermaria entram e saem pessoas constantemente. Falam com toda a gente mas não têm tempo para falar com vocês... e vocês não podem chamar niguém, porque não consguem falar...

E ficam 3 horas seguidas a olhar para a parede vazia...

Não têm sono... desesperam porque já não sabem que pensar, porque já estão fartos de olhar para a parede, porque ninguém fala com vocês, porque já vos doi os joelhos de estarem naquela posição, porque os calcanhares não foram bem elevados e estão a fazer pressão no colchão.

É dor... e vocês não consguem dizer que doi...

Quem vos posicionou não colocou nenuma almofada entre os joelho... um joelho com o outro (osso com osso) provoca dor... pressão constante... 3 horas!

Têm comichão num olho... não consguem mexer o braço porque não têm força... e sentem a comichão... 3 horas.

Vem alguem. Essa pessoa sorri, mas não lhe consguem dizer onde doi, onde têm comichão...

Têm um tubo no nariz que vai até ao estomago. Como não têm força para comer é necessário... já não sabem o que é sentir sabor na boca a não ser o da vossa saliva e quando vos lavam a boca.

Quando vos lavam a boca é como estar alguem constantemente a provocar-vos o vomito. Imaginem quando lavam a lingua com a escova, aquela sensação de nausea... ali...é constante quando vos realizam a higiene oral.

Depois das 3 horas alguém vem para vos mudar de posição (tem de ser por causa das ulceras de pressão).

Ficam de "barriga para cima". Estão 3 horas a ver o tecto... as luzes, quando se acendem encandeiam... mais 3 horas assim... com o passar das horas já doi as costas, os calcanhares...mantem-se a comichão, agora no nariz...e nao conseguem dizer, não consguem aliviar!

Mais 3 horas passam... estão viradas para a porta... veêm finalmente as pessoas. As que estão no quarto, os profissionais... o tempo talvez passe mais depressa. Talvez...

 

Isto é o que imagino que possa sentir alguém completamente dependente, que não se consgue mexer. No meu serviço, 5% dos doentes são assim... imaginam!?

Imagino, com medo, que um dia poderei ter um problema de saúde e ficar assim...

Estão a ver como é quando estão aborrecidos, num local muito chato, sem nada para fazer. Chegam mesmo a ficar desesperados?!

Isto...seria bem pior!!

E agora pensam: "Então, se achas que os teus doentinhos se sentem assim, porque não os mudas mais vezes, porque não falas mais com eles?"

Sim, poderão não haver desculpas... quem me dera poder fazer isso... mas falar com eles, nem sempre posso, nem sempre tenho tempo. Talvez tambem por defesa...que dizer a alguém que não nos responde? Faço um monologo e sei lá se falo de algo que lhe interesse... durante o banho, aí sim, falo, vou explicando o que estou a fazer... mas depois... nas tais "3horas"... é dificil!

Quanto aos posicionamento, é imprescindivel mudar as pessoas de posiçao de 3 em 3 horas (no maximo), devido ás ulceras de pressão (as escaras). E é inevitável não as posicionar para a "parede"... podia até mudar de posição mais frequentemente, mas o maldito tempo não chega para tudo!!

 

Fico-me por aqui nas imaginações... hoje  vai ser mais uma noite...espero que corra tudo bem!!!

 

Beijos e Abraços!

 

_ser o que sou_

(De Oscar Silva)

Música: Mary J. Blige & U2 - One
Sinto-me: A imaginar...


Quarta-feira, 4 de Julho de 2007

Guerra Fria na Enfermaria

Bem, depois de uns dias fora...cá estou eu mais uma vez!

Felizmente estou numa fase em que consigo sair do serviço sem pensar no que lá fica... oq ue me dava um valente nó no cerebro! Agora estou mais desafogada...consigo ter turnos mais intercalados com folgas...o que é bem mais saudável!

E ainda bem que consigo não estar tanto tempo seguido lá metida... agora o serviço parece uma guerra fria entre profissionais, nomeadamente entre enfermeiros e auxiliares.

Os auxiliares de acção médica realizam tarefas delegadas por enfermeiros, ou seja, sao supervisionados pelos enfermeiros, logo quando algo dá buraco quem é chamado à responsabilidade é o enfermeiro... Mas quando vem uma pita como eu, com 1 ano de experiencia a tentar dar indicações a auxiliares que estão lá ha 10-15 anos é que é o bom e bonito... ninguém me leva a sério e ás vezes tentam é dar-me indicações a mim, tipo: "Oh Srª Enf, não acha que devia ir ver a tensão do sr da cama 2?"... HELLOOO... eu ainda sou enfermeira...e posso nao ter muita experiência, mas ainda tenho noção do que devo ou não fazer aos meus doentes, e quando é que tenho de o fazer!!! As auxiliares podem ter mais experiencia no serviço, mas só sabem umas coisas aqui e acolá pelo que vao vendo, porque teoria...ZERO!

Eu ainda vou tendo alguma paciencia quando me aparecem com estes comentários ou quando contradizem alguma indicação minha... começo-me a passar quando sangues urgentes não sao entregues "com urgência".... mas tenho colegas minhas que qualquer coisas já há discussão e mau clima o turno todo... e imaginem trabalhar assim...por vezes 16 horas seguidas...!!! Parece a guerra fria! Depois a chefe sabe "coisas" de auxiliares, sabe "coisas" de enfermeiros e há sempre a discussão "mas quem é que foi dizer...?" - "Ah foram os enfermeiros para nos lixar" - "Ah foram os auxiliares que andam descontentes..."... e é disto!!! Podem dizer "Onde há só mulheres, há sempre confusão...!"... Maybe... também sou mulher, contra mim falo, mas bolas... ás vezes há cenas mesquinhas insuportáveis!!!

Bem, fico-me por aqui por hoje... beijos e abraços***

Música: Muse - Starlight
Sinto-me: Em Guerra Fria


Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

Conversas de Enfermeiras

Uma enfermeirita tem direito a sair de vez em quando... tem, tem!!!

Aqui a enfermeirita foi sair! Yeah!!!

 

E o que é que as enfermeiritas falam quando saem com as suas amigas enfermeiritas?

De enfermagem...

 

E porque é que os namorados das enfermeiritas se chateiam (um bocadinho....) quando saem com elas?

Porque juntas, só falam de enfermagem...

 

E porque é que falam, maioritariamente, de enfermagem?

Porque passam mais de 40horas por semana a exercer enfermagem...

 

Mas as enfermeiras falam de outras coisas também... falam pois! Mas voltam sempre a falar do mesmo... de enfermagem!

Não, as enfermeiras juntas não são secantes nem monotonas! Temos histórias de rir até cair... (ok, também temos das outras!!!).

 

Ehehe... mal posso esperar pela próximas saída...

 

 

Música: Bob Sinclair - World hold on
Sinto-me: Nas saídas


Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


tags

todas as tags

Links

blogs SAPO

subscrever feeds